São Bernardo, o psicólogo (sobre a ligeireza de espírito)

A ligeireza de espírito é o segundo de doze degraus em direção à soberba, de acordo com a divisão psíquica proposta por São Bernardo. Ela é, por assim dizer, uma espécie de estado em que o espírito se distrai mais facilmente de seus propósitos e valores, e é mais maleável e influenciável pelas paixões e acontecimentos que o cercam.

Definitivamente, a ligeireza de espírito está por trás de muitas doenças da alma, como os transtornos de humor. E é importante que se diga – algumas pessoas são naturalmente (biologicamente) mais propensas a esse vício, particularmente aquelas com déficits de atenção.

A curiosidade, vício que estudamos no artigo interior, habitua, por assim dizer, a mente a se distrarir e absorver os sentimentos, impulsos, paixões e trivialidades que nos cercam. É por isso que São Bernardo coloca a curiosidade como antecedendo a ligeireza de espírito. Vejamos:

Com efeito, o monge negligente consigo mesmo ocupa-se curiosamente dos demais: a alguns reconhece-os como superiores; aos que porém considera inferiores, a esses os despreza. Nos primeiros, de fato, vê coisas que inveja, enquanto nos segundos vê coisas de que se ri. Daí que alma, diluída em tal mobilidade dos olhos, e de todo alheia ao cuidado de si, às vezes se erija alto pela soberba, às vezes se deprima fundo pela inveja. Ora se enche de maldade e se consome de inveja, ora ri puerilmente ante sua própria glória. No primeiro caso, manifesta-se a maldade; no segundo, a vaidade; em ambos a soberba. Pois o amor da própria excelência é o que o faz doer-se pelo que o supera e algrar-se por sentir-se superior.

Essas vicissitudes do espírito se notam pelo modo de falar: às vezes é lacônico e mordaz; outras, loquaz e vão; ora explode de rir, ora rompe em pranto, é sempre de palavras irrazoáveis.

SÃO BERNARDO DE CLARAVAL, OS GRAUS DA HUMILDADE E DA SOBERBA, EDITORA CONCRETA 2016

Talvez a imagem que melhor represente a descrição que o santo nos dá seja a de uma esponja que não pode evitar absorver todo e qualquer líquido com o qual entra em contato. Não existem critérios. Tudo é absorvido, tudo é profundamente sentido e tudo desencadeia uma reação quase que automática. Uma vida assim não só é incompatível com qualquer labor intelectual sério, mas também se esbarra no cultivo de bons relacionamentos.

E como combater tal vício?

O remédio para a ligeireza de espírito, assim como para todos os vícios, passa pela caridade. Tudo passa pelo amor. E não poderia ser diferente, afinal o Logos (a ordem natural) do nosso mundo é O Amor. Sendo assim, aqui vão algumas dicas:

1 – Faça o exercício de passar um dia inteiro sem reclamar de nada. Para cada reclamação, faça uma oração, pague uma prenda, dê esmola, algo que lhe tire da inércia. Depois tente isso por dois ou três dias.

2 – Tente pensar no bem de alguma pessoa que tenha lhe chateado profundamente. Faça isso, sobretudo em oração. E faça sempre.

3 – Tenha ao menos 30 minutos por dia para não pensar em absolutamente nada. Você precisa ser capaz de não ser movido em seu interior por algum momento no dia. Faz parte do processo de centralidade da psyche.

4 – Ao se alimentar, veja o que come, aproveite a refeição, coma devagar e sem pressa. Comer rápido como um animal te habituará a ser movido por instinto, por paixão. Daí a importância costume da tradição cristã de orar antes das refeições. Isso prepara e acalma o espírito.

5 – Fuja da hiper-estimulação tão comum em nossa sociedade multi-tasking. Isso é, evite fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Mesmo o ato de escovar os dentes ou lavar a louça. Faça apenas uma coisa de cada vez, e tente se concentrar nessas tarefas, sem procurar outras distrações enquanto faz isso.

É claro que essas dicas são suficientes apenas para pessoas com um nível de afetação leve, ou seja, que não preenchem critérios para um transtorno mental de verdade. Há casos e casos. Pessoas com prejuízo marcante do sono, que não conseguem se concentrar em nenhuma tarefa acadêmica, doméstica ou profissional precisam procurar um médico psiquiatra, além de praticar os exercício propostos aqui.

FINIS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s